CORE

O QUE É O CORE 360º?

“Como desenvolver um conceito de treino que atenda a praticantes com diferentes níveis de condicionamento físico, dos 8 aos 80 anos? Como criar uma espinha dorsal, uma matriz para servir a atletas profissionais, indivíduos comuns e ainda auxiliar na prevenção de lesões? Pessoas com a mesma idade, peso e objetivo de treino podem ser muito diferentes entre si. O desafio de atingir às menores diferenças com os melhores resultados é o que inspira nosso time.” Luciano D’Elia CEO e criador do CORE 360º.

Não há máquina mais perfeita do que o corpo humano, um rico sistema repleto de habilidades inatas, cujos potenciais de movimento são frequentemente subaproveitados. Compreender os desafios de cada cliente e criar ferramentas universais e métodos que se adaptam a diferentes situações e perfis de praticante é que nos move.

Educar, interagir e fortalecer a comunidade do Treinamento, garantindo resultados, excelência e orgulho de pertencer ao CORE 360º.

  • O Treinamento Funcional deve ser:
  • Progressivo
  • Individualizado
  • Específico
  • Global

Nosso sistema de treino é baseado no indivíduo, no seu Objetivo (o que ele quer), suas Necessidades reais (o que ele precisa), e seu Potencial de movimento ( o que ele ainda não realiza), no desenvolvimento da capacidade do treinador em identificar essas demandas, e na ampliação dos instrumentos e ferramentas necessários para alavancar os resultados de seus clientes.

  • Excelência
  • Busca pela inteligência
  • Disciplina
  • Ousadia
  • Cultivo
  • Consciência
  • Evolução constante
  • Qualidade de movimento
  • Melhorar a performance
  • Prevenir lesão
  • Transferência para a atividade específica
  • Variação de estímulos
  • Basear-se na ciência e fundamentar-se na prática

De acordo com o Dicionário Houaiss, “função; uso à que se destina algo, qualidade, emprego” e ainda “funcional; algo que foi concebido e executado para ter maior eficácia nas funções que lhe são próprias”. Assim, o Treinamento Funcional é um processo em que o aluno aprenderá a fazer de seu corpo uma ferramenta mais funcional, puxando, empurrando, levantando, arremessando, correndo e saltando, com objetivos definidos a médio e longo prazos, independente da idade ou objetivo, sempre de forma altamente específica.

O Core 360º surgiu da necessidade de compartilhar conhecimento e experiências acumuladas ao longo de 16 anos de um trabalho pioneiro de Luciano D’Elia no Brasil com treinamento funcional. No princípio, era grande a dificuldade de encontrar informações confiáveis, acompanhar o ritmo de um processo em rápida evolução e aplicado a uma escala cada vez mais ascendente de pessoas. Mesmo ancorado numa matriz fundamental, o Treinamento Funcional não é um código fechado e deve incorporar novas ideias, métodos e ferramentas a partir da vivência de cada treinador. Nossas ideias sobre Treinamento Funcional continuam mudando e o Core 360º se mantém em constante evolução, apoiada pela aplicação do sistema por todo universo de mais de 40.000 profissionais de Educação Física e de Fisioterapia certificados, seus clientes, seus atletas e seus pacientes.

Nosso sistema de treino é baseado no indivíduo. Conceito (do latim conceptus, do verbo concipere, que significa "conter completamente", "formar dentro de si") é aquilo que a mente concebe ou entende: uma idéia ou noção, representação geral e abstrata de uma realidade. Método (do grego methodos, significa “caminho para se chegar a um fim”. Sistema um sistema (do grego sietemiun), é um conjunto de elementos interconectados, de modo a formar um todo organizado. O sistema de treino do Core 360º apoia-se em 9 pilares que são os elementos básicos de construção da sessão de treino, e a “caixa de ferramentas” do treinador. Cada pilar tem um conceito, um tempo e forma de aplicação e uma modelo de organização própria. Dentro de cada um estão tarefas, ferramentas e estímulos que tem uma relação de semelhança entre si. Esse sistema tem a flexibilidade necessária para se adequar a qualquer situação e ao mesmo tempo manter um linha de coerência e unidade entre cada sessão e cada programa de treino. Junto a isso outro fator fundamental é a capacidade de incorporar a ele novos conhecimentos e métodos, personalizando o modelo de prescrição.

  • Preparação de Movimento
  • Agilidade e Velocidade
  • Preparo Muscular
  • Treinamento de Potência
  • Treinamento do Core
  • Desenvolvimento dos sistemas energéticos
  • Tarefas de transferência
  • Regeneração
  • Prevenção de lesão
  • Para nós todo programa de Treinamento de Movimento deve ser:


Progredir é caminhar para a frente, avançar, melhorar, aperfeiçoar-se, desenvolver-se. Em última instância essa é a meta que deve ser buscada. Mas a progressão de fato se dá em pequenos passos, onde as vezes retroceder um pouco é necessário para criar uma base de movimento realmente sólida. Como uma criança que está aprendendo a andar, seu cliente vai ganhar autonomia a partir do momento em que ele se sinta seguro, e isso está totalmente ligado a como o treinamento é desenhado e programado para permitir que essa evolução aconteça de maneira consistente e segura.

A especificidade é regra básica no Treinamento Funcional. A construção de um programa só terá sucesso à medida em que considerar as demandas individuais de cada praticante. Não há programas iguais para indivíduos diferentes. Quanto menos específica e mais genérica a prescrição, menos eficiente ela será. Mas como atingir um grau de customização contínuo e eficaz para indivíduos com demandas, potencialidades e limitações tão diferentes, como encontramos no nosso dia-a-dia? Apesar de não pretender reinventar tudo que já foi realizado, o treinamento funcional pode ser compreendido como uma resposta a esta questão. “Quanto maior for a similaridade entre o treinamento e a atividade específica, maior é a probabilidade de transferência dos ganhos obtidos com o treinamento para se aprimorar a performance da atividade específica”. (Knapp, 1963;Cratty, 1979; Sale, 1988; Behm, 1995)

Da maneira que enxergo o treinamento funcional deve ser entendido como uma inovação real. Não apenas no desempenho dos praticantes ou em sua filosofia, mas para toda a indústria esportiva, que está incorporando suas influencias no desenvolvimento de novos produtos. Mas a inovação real nunca é reflexo da busca gratuita e desenfreada pela novidade, mas uma atitude de valor e propósito, com justificativa racional para existir.